Mobilidade Urbana Ônibus

DF: Rodoviária do Gama sofre com violência

Foto: Fernando Sousa/Bsb Mobi

Passageiros e trabalhadores que utilizam o terminal reclamam dos constantes roubos


A insegurança se tornou uma companhia nada agradável para quem frequenta a Rodoviária do Gama, localizada na parte central da cidade. O espaço, que recebe em torno de 20 mil pessoas diariamente, sofre com roubos a pedestres e até aos comércios.

A página Só No Gama, no Facebook, foi uma das que mostrou a situação no terminal. Em um post, um seguidor relatou que usuários de crack abordam os frequentadores. “Outro dia, um colega de trabalho foi usar o banheiro e foi assaltado por dois caras lá dentro”, diz o texto publicado na página.

Há um posto fixo do 9° Batalhão da Polícia Militar, mas que está desativado há algum tempo, reforçando a sensação de insegurança do local. Uma comerciante que preferiu não se identificar conta que teve sua mercadoria levada, além de sofrer com outras tentativas de roubo. “Eu cheguei aqui e vi o meu comércio arrombado”, revela.

Os rodoviários que utilizam o terminal como ponto final de suas linhas também reclamam da insegurança. O motorista de ônibus Valdomiro Romão afirma ter presenciado diversos roubos no local. “A mulher está no celular, o cara pega e sai correndo”, descreveu o trabalhador.

Violência em Rodoviárias no DF assusta passageiros

No último dia 15, um jovem que estava na Rodoviária do Plano Piloto foi assassinado enquanto lanchavava com amigos. O estudante da UnB Milton Junio Rodrigues de Souza, de 19 anos, voltava de uma festa e foi abordado por moradores de rua que queriam um isqueiro. Após a negativa, o rapaz foi esfaqueado e morreu no local.

Versão oficial

Em nota enviada ao Bsb Mobi, a Polícia Militar afirma que há patrulhamento de forma constante na Rodoviária do Gama. Ainda de acordo com a PM, grande parte das ocorrências do local tem o envolvimento de usuários de drogas e moradores de rua, que são liberados assim que assinam um termo circunstanciado.

Confira a íntegra da nota:

O policiamento no local é realizado de forma constante, com emprego de viaturas que patrulham a região central do Gama e de viaturas que fazem parte da ‘Operação Brasília’, em que viaturas ficam em pontos estratégicos, de modo a inibir o cometimento de crimes.

A reclamação mais constante no local é a respeito de usuários de drogas e de moradores de rua. No entanto, estas são questões de saúde pública que vão além de policiamento, envolvendo questões de política social. O usuário é liberado tão logo assina um termo de compromisso, e o morador de rua não deve ser abordado se não houver fundada suspeita.

Há operações voltadas especificamente para aumentar a segurança dos terminais rodoviários no DF: a Polícia Militar realiza a “Operação Anjo da Guarda”,  em que são realizadas abordagens a coletivos, paradas de ônibus e seus arredores; em algumas satélites é realizada a “Operação Parusia”, que utiliza motociclistas e viaturas que fazem rondas periódicas em paradas e terminais de ônibus, além de abordagens em coletivos; em outras satélites é desencadeada a “Operação Catraca”, feita todas as tardes e noites com viaturas que rondam os terminais rodoviários; além da já mencionada “Operação Brasília”, na qual viaturas são colocadas em pontos base, em locais de maior fluxo de pessoas ou de incidência criminal. 

Higor Viana

Jornalista formado desde 2017, atua como repórter e assessor de imprensa. Editor-chefe do site Bsb Mobi.

Comentar

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta