Mobilidade Urbana Ônibus

DF: ‘Eu não posso beneficiar quem tem condições de pagar’, afirma Ibaneis sobre Passe Livre

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

De acordo com o governador, o GDF precisa economizar mais de R$ 150 milhões com o Passe Livre Estudantil


O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), adotou a linha da economia para se referir ao Passe Livre Estudantil. A meta do chefe do Executivo é que a economia nas gratuidades destinadas aos estudantes atinja os R$ 150 milhões. Atualmente, o gasto com o PLE chega ao dobro deste valor.

“Eu tenho um estado para administrar, que tem muita dívida e precisa de muita coisa. E eu não posso beneficiar quem tem condições de pagar”, disparou.

Ibaneis participou nesta terça-feira (5) da primeira sessão ordinária da Câmara Legislativa do DF. O titular do Palácio do Buriti protocolaria na casa um texto que revisa o benefício do PLE, transformando a atual gratuidade em desconto de dois terços da tarifa do transporte público para os estudantes. No entanto, o governador disse que pretende ouvir os distritais a respeito do tema.

“Se os deputados tem alguma proposta para aperfeiçoar [o passe livre], eu tenho que ouvi-los. Um grupo de deputados se reuniu comigo hoje pela manhã e pediu alguns dias para fazer sugestões”, informa Ibaneis. Ele disse que os parlamentares tem até sexta-feira para apresentar suas ideias de melhoria do texto.

Para o governador, os 33% (1/3) com os quais o estudante teria de arcar no valor das passagens do transporte é um percentual que “dá pra todo mundo pagar”. “O projeto, na minha visão, está correto, era o que existia antes com os 33% na época que eu fui estudante. Era assim que existia e é assim que acontece na grande maioria dos estados”, disse.

A proposta do fim da gratuidade esquentou os ânimos desde que foi anunciada, nesta segunda-feira (4). Para os estudantes, o rombo existente no caixa do GDF e alegado pelo governador foi causado pelos desvios detectados nas operações da polícia. Uma delas, a Operação Trickster, deflagrada em 2018, investiga práticas fraudulentas operadas por servidores do DFTrans no sistema de bilhetagem automática que causaram prejuízos de mais de R$ 1 bilhão de reais.

“Eu concordo com eles [estudantes] que existem fraudes e eu também estou cortando nelas. Mas a conta existe e é de quase R$ 800 milhões”, explica. Segundo Ibaneis, além do que é perdido com os desvios, fazem parte dos gastos com bilhetagem automática os subsídios que mantém o valor da tarifa para o usuário e os passes livres.

BRB vai assumir gestão da bilhetagem automática

Para combater as fraudes, Ibaneis pretende transferir a operação do sistema de bilhetagem para o BRB. O governador informa que, além de oferecer mais segurança, a nova gestão vai ampliar o atendimento ao usuário, que será oferecido em 156 postos de conveniência e nas agências diretamente filiadas ao banco, além de um serviço via aplicativo.

“Estamos criando um modelo de bilhetagem pelo BRB, onde nós esperamos economizar em torno de R$ 100 milhões de reais só com as regras de gestão”, detalha. O governador informa que nova proposta está em análise e deve ficar pronta na próxima semana. No entanto, não há uma estimativa para o início dessa operação gerenciada pelo banco.

Redação

O BSB Mobi é um portal de notícias especializado em mobilidade urbana. O site traz as principais informações sobre o tema em todo o Brasil, com foco principal no Distrito Federal e Entorno.

Comentar

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta