Mobilidade Urbana Ônibus

GO: CDTC aprova valor de R$ 4,30 nas passagens de ônibus em Goiânia

Foto: Ricardo Vieira/Bsb Mobi

Reajuste passa a valer na capital goiana a partir de sexta-feira (19)


A Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) aprovou, por 6 votos a 2, o reajuste no valor das passagens de ônibus na Grande Goiânia. O colegiado se reuniu nesta terça-feira (17/4) no Paço Municipal e os membros decidiram pela mudança no valor da passagem de R$ 4,00 para R$ 4,30.

A diferença corresponde a 7,5%. A previsão é esse valor passe a vigorar já na próxima sexta (19), a partir das 5h.

O presidente da CMTC, Kennedy Machado, a secretária de Meio Ambiente da capital, Andreia Vulcanis, o prefeito Íris Rezende, o secretário de Trânsito Fernando Santana, o secretário de Planejamento Henrique Alves e o vereador de Trindade Agnelson Alves (PV) votaram favoráveis ao aumento. Os únicos contrários ao reajuste foram o vereador da capital Lucas Kitão (PSL) e o deputado estadual Alysson Lima (PRB).

Jânio Darrot, que é prefeito de Trindade e presidente do CDTC, só votaria em caso de empate. Darrot classificou o aumento como “injusto”, mas disse que, se não acontecesse, prejudicaria o sistema. “O reajuste é automático, todo mês de dezembro. Já deveria ter sido implantado, mas estamos discutindo uma série de melhorias. Se quebrássemos o contrato e não aumentasse a tarifa, nós poderíamos estrangular o sistema”, afirmou.

A proposta teve bastante reprovação tanto na Assembleia Legislativa de Goiás (ALEGO) quanto na Câmara Municipal. Os membros do CDTC que são de ambas as Casas já se manifestaram contrários à proposta sem que seja apresentado projetos de melhorias para o transporte públicos.

O vereador Lucas Kitão ironizou, ao dizer que o aumento era o “presente de Páscoa” do governo para o povo goianiense. Ele reclamou da forma como foi conduzida a reunião.

“Foi uma reunião truculenta, conduzida com pouco de autoritarismo e a gente ficou um pouco sentido de não poder discutir as deliberações”, explicou Kitão. “Aumento passou e não foi discutido nenhuma melhoria, infelizmente”, protesta.

O deputado estadual Alysson Lima também reclamou da falta de propostas de melhorias e definiu a reunião como “faz de conta” e com aspecto “tirano” por discutir somente o valor da tarifa.

“Saio com sentimento de frustração”, resumiu. “Esperaram a véspera de feriado religioso para colocar essa fatídica pauta.” O parlamentar afirma que recorrerá à justiça para tentar reverter a situação. “Já temos um processo pronto para protocolar contra o aumento da tarifa”, informa.

BSB Mobi

Site especializado em notícias sobre mobilidade urbana, especialmente na região do Distrito Federal e Entorno.

Comentar

Clique aqui para comentar