Mobilidade Urbana Ônibus

DF: Programa “Coletivo”, da NTU, promete soluções em transporte público

Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Lançamento da iniciativa ocorreu nesta terça-feira (07), em Brasília


A Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) lançou, nesta terça-feira (07/05/19), o “Coletivo, Programa de Inovação em Mobilidade Urbana“. A ideia, de acordo com a entidade é encontrar “soluções inovadoras que permitam oferecer um transporte público de qualidade e contribuam para o desenvolvimento de cidades mais eficientes e sustentáveis”.

O evento de lançamento do programa reuniu dirigentes de empresas e entidades de transporte público, empresas fornecedoras do setor, especialistas em mobilidade urbana, gestores públicos, agências de cooperação e a comunidade de inovação e tecnologia.

Uma das ideias para trazer soluções ao transporte público coletivo é a realização de um “hub” nacional de inovação. Ou seja, um espaço dedicado ao desenvolvimento de ideias, processos, produtos e serviços voltados para melhorar o sistema de transporte público. 

Nas palavras de Otávio Cunha, presidente executivo da NTU, o Coletivo vem com a proposta de valorizar o setor de transporte público. “Sofremos com a falta de políticas públicas, de prioridade ao coletivo urbano nas vias, que geram congestionamentos, com o consequente aumento do preço das passagens e a fuga de passageiros, que levam à perda de produtividade do serviço”, avalia.

O secretário nacional de mobilidade Urbana, Jean Carlos Pejo, também esteve na solenidade, onde elogiou a iniciativa. “Aqui eu ouvi falar de pessoas e isso me deixa muito satisfeito”, pontua. Além disso, se colocou à disposição dos realizadores do programa. “Podem ter certeza de que dentro da Secretaria de Mobilidade Urbana o engenheiro Jean Carlos Pejo estará junto nesse Coletivo”, certifica.

Edmundo Pinheiro, coordenador do conselho de inovação da NTU, é o responsável pelo Coletivo. O empresário, que um dos dirigentes das empresas HP Transportes Coletivos, ITA Empresa de Transportes – ambas de Goiânia – e Urbi Mobilidade Urbana – com sede em Brasília -, demonstrou preocupação com a perda de passageiros no transporte coletivo.

“A queda no número de passageiros está ocorrendo em todo o mundo e não só no Brasil, segundo pesquisa da APTA, entidade que consolida e reúne autoridades e operadores do sistema público de transporte americano”, constatou Edmundo. “Ela aponta queda de 2,8% no número de usuários do transporte em 2018”, explica.

A atual situação do transporte coletivo tem levado as pessoas a optarem pelo carro particular, mesmo com o cenário econômico vivido pelo Brasil. “Nos últimos cinco anos de crise econômica no Brasil não houve redução de automóveis nas vias. O que está mudando é o comportamento das pessoas nos deslocamentos diários e o aumento do nível de exigência”, apontou Edmundo.

Coletivo, Programa de Inovação em Mobilidade Urbana – A NTU explica que o programa vai unir as empresas de transporte público por ônibus de todo o país com o objetivo de “reinventar a forma como as pessoas se deslocam nas cidades brasileiras”. Além disso, a iniciativa também deve abrigar empresas nascentes de base tecnológica com alto potencial de crescimento (as chamadas startups) que sejam voltadas para soluções de mobilidade centradas no transporte coletivo, facilitando o acesso dessas iniciativas a potenciais investidores.

BSB Mobi

Site especializado em notícias sobre mobilidade urbana, especialmente na região do Distrito Federal e Entorno.

Comentar

Clique aqui para comentar