Infraestrutura

DF: Através de PPP, Governo do Distrito Federal pretende tocar projeto da via Transbrasília

Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Pista ligará Samambaia ao Plano Piloto, passando por cinco regiões


O Governo do Distrito Federal pretende tirar do papel o projeto da via Transbrasília. A pista ligará as cidades de Samambaia e Plano Piloto, passando pelas cidades de Taguatinga, Águas Claras, Park Way e Guará ao longo de 26 km de extensão.

Para viabilizar a obra da via, a Secretaria de Projetos Especiais do DF resgatou os documentos e estudos parados desde 2017. A afirmação é de Everardo Gueiros, chefe da pasta.

“A secretaria vem, junto a todas as áreas envolvidas, buscar superar e resolver todos os óbices institucionais e legais para encaminhar o quanto antes os dados, estudos e pareceres atualizados, para que as áreas técnicas envolvidas possam o quanto antes liberar e divulgar o projeto”, disse Everardo.

O empreendimento propiciará transformações positivas em todos os níveis, melhorando a qualidade de vida da população do DF, prossegue o secretário. Além disso, a obra deve trazer inúmeros benefícios sócio econômicos diretos e indiretos a todas as cidades e seus habitantes.

A Via Transbrasília

A nova pista, chamada de Avenida Transbrasília, será uma ligação entre o Plano Piloto e a região Sudoeste do DF. Ela passa a ser uma alternativa para rodovias como EPNB e EPTG, que sofrem com congestionamentos nos horários de pico.

A via deve ser construída em um local onde estão torres de alta tensão. Para que a obra da pista inicie de fato, os postes serão removidos e a fiação será enterrada.

O GDF pretende executar os serviços por meio de uma Parceria Público-Privada. O ganhador da futura licitação deve ter o direito de explorar comercialmente os empreendimentos imobiliários às margens da pista, como setores habitacionais, parques e comércio. O custo inicial é de R$ 3 bilhões.

BSB Mobi

Site especializado em notícias sobre mobilidade urbana, especialmente na região do Distrito Federal e Entorno.

Comentar

Clique aqui para comentar